INÍCIO RESENHAS PARCEIROS CONTATO ESPECIAIS

5 de maio de 2015

Falando Sobre: 1968 - O Ano que Não Terminou

||

Autor: Zuenir Ventura                                                                                                  Editora: Nova Fronteira                                                                                          314 Páginas                                                                                                                                      Sinopse: Considerado um dos maiores clássicos da literatura contemporânea brasileira, 1968 – O ano que não terminou é um retrato fiel de todos os acontecimentos que fizeram do ano de 1968 um divisor de águas na história brasileira e mundial. Além de ser uma peça de excelente jornalismo, um exemplo de texto brilhante, 1968 – O ano que não terminou presta relevante serviço à revitalização da consciência democrática brasileira.





Galera, hoje trouxe para vocês a resenha de um livro mais pesadinho, sobre uma parte muito importante da história do Brasil. Para quem não sabe, em 1968 ocorria aqui a Ditadura Militar (1964-1985). Apesar de ela ter durado vinte e um anos, o livro é exclusivamente sobre o ano de 1968. É importante destacar que para aproveitar o livro e entendê-lo bem, você terá que ter o mínimo de conhecimento sobre o período. Talvez, a sacada mais legal da obra seja a importância que o autor deu para os movimentos estudantis que ocorriam.

"A conta nunca foi feita, mas é provável que os estudantes inscritos nas escolas e faculdades brasileiras de 66 a 68 tenham passado mais tempo na rua do que nas salas de aula. Somado o tempo gasto nas assembleias com as horas despendidas nas passeatas, os estudantes daquela época devem ter tido pouca disponibilidade para estudar."

Inclusive, o assassinato de um estudante foi o que fez a população abrir os olhos para o que estava realmente acontecendo (e a própria missa de sétimo dia dele). 
"Aquele sol tremendo e as pessoas chegando sem parar, com flores, rosários: crianças de escolas primárias, freiras, madres, padres, alunos de colégios, professoras levando turmas, pessoas inclusive de direita. Crianças de 7, 8 anos, ao lado de mães, velhos, donas-de-casa se exprimindo politicamente pela primeira vez. Parecia que havia uma grande articulação e não era nada disso. Uma coisa contraditória esse enterro: uma manifestação impotente, cheia de vida. Foi comovente."
Automaticamente, o leitor fica sabendo o quanto os estudantes sofreram, seja por meio da prisão, tortura, pancada e repressão, por não ficarem quietos. 

Também são narrados ao longo do livro eventos cruciais do ano, como a Passeata dos 100 Mil, uma reunião dos estudantes em Ibiúna e depois relatos do que aconteceu com eles e com o casal que cedeu o espaço para ela (havia muita gente infiltrada no meio dos estudantes, inclusive da CIA). O autor ainda dedica um capitulo (e mais um pouco) para contar sobre a repressão que os atores de teatro e artistas de música sofriam. Dentre outros acontecimentos importantes, o último deles é o decreto do AI-5 (ato considerado um golpe dentro do Golpe) e ainda um pouco do que houve por trás da aprovação dele, que instaurava e formalizava a censura.
"As precauções de Beltrão não levavam em consideração que o AI-5 estava sendo editado não para proteger inocentes, mas para transformá-los em suspeitos ou culpados."
Confesso que demorei um pouco para pegar o ritmo da leitura, mas isso ocorreu porque no início o autor apresentou fatos e informações que eu não dominava tanto, então tinha que refletir muito a respeito. Já do meio para o final foi mais fácil. O Zuenir não é imparcial e muitas vezes usa a ironia para mostrar sua indignação; mesmo assim, nos mostra os dois lados da história.
  "A história do ano acaba aqui. Na verdade, era apenas o começo. 1968 entrava para a História, senão como exemplo, pelo menos como lição."
Um beijo e foca na leitura! 
Facebook
Blogger

24 comentários

  1. Oi Luiza =)
    Ainda não conhecia o livro, mas me pareceu muito interessante conhecer um pouco mais dessa época, ainda mais considerando o atual momento que estamos vivendo.

    BeijOs!!!
    @jannagranado
    @lpdiversao
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janna,
      Também acho a história super importante para compreender nosso presente, fico feliz que convergimos, haha!
      Beijo.

      Excluir
  2. Eu tenho esse livro aqui em casa há muito tempo, e estava pensando em lê-lo. Essa resenha me animou! Espero gostar.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, uma xará!
      Eu também espero que goste do livro Luiza, é realmente bom.
      Beijos.

      Excluir
  3. Eaí, tudo bem Luiza?

    Estou participando de uma tag especial para o dia das mães, e te indiquei para fazer também.. Dá uma olhadinha lá e vê se te interessa :)

    http://doce-estante.blogspot.com.br/2015/05/tag-frases-de-mae.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thayná!
      Não sei se viu, mas as meninas responderam a Tag :)
      Obrigada por ter nos indicado!
      Beijo.

      Excluir
  4. Uau!!! Pelas citações que você colocou já dá vontade de ler o livro. Adorei saber que alguém teve a audácia de escrever um livro contando essa parte da nossa história. É claro, que isso só foi possível por vivermos uma democracia, e ainda tem quem peça a volta da ditadura... Adorei a resenha. Quero ler com certeza! Bjs

    http://territorio6.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gleyse,
      Pelo seu comentário, acho que se você ler o livro vai gostar dele :)
      Escolhi com bastante carinho as citações, haha, deu certo.
      Beijo.

      Excluir
  5. Adoroooo livros assim, não conhecia esse, mas vou colocar para ontem na minha lista de leitura.
    Acho que é um período que precisa ser muito bem estudado e compreendido e principalmente, como ele atrapalho a Educação no Brasil que sempre foi capenga, atendendo somente aos interesses da elite. Obrigada pela indicação.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lilian, eu que te agradeço pelo seu comentário!
      Espero que goste do livro :)
      Beijo.

      Excluir
  6. Olha pra falar a verdade gostei bastante da sua resenha, mas infelizmente não é um livro que eu pegaria para ler, pois não faz muito meu gênero. Achei bastante interessante tudo que tu falou e sobre seu ponto de vista, mas é uma leitura que não faria para agora sabe? Enfim...Achei que você abordou muito bem seu ponto de vista e acho que de uma certa forma tu me chamou atenção, mas vamos ver né?

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-boa-noite-estranho.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Silvana,
      Bom, acho que realmente temos que ler os livros no tempo certo, me entende? Então se você acha que não é para agora, sem problemas, fico feliz que você tenha gostado da resenha :)
      Beijo.

      Excluir
  7. Esse é um livro que eu não leria, sim, não leria, pelo fato que eu não gosto de história, esse não é meu ponto forte, mas gostei da sua resenha, foi muito bem explicada e escrita, parabéns e mais um parabéns para você que conseguiu ler! :)

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luan, obrigada, hahahaha *-*
      Abraços.

      Excluir
  8. Adoro pessoas que são capazes de mostrar os dois lados, mesmo que não concorde com o outro. Muitos não entendem que não precisa ser imparcial, basta mostrar o que aconteceu e a pessoa decidir que lado vai seguir.
    Achei a resenha interessante, especialmente por passar muito conteúdo. Obrigada pela resenha e indicação.
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, sou eu quem agradeço, concordo totalmente com o que você disse. Mostrar o que aconteceu e inclusive os dois lados da moeda faz a pessoa ir formando sua própria opinião.
      Beijo.

      Excluir
  9. Tai um livro que as pessoas deveriam ler nos dias de hoje, não sei, mas parece que parte da população anda meio alienada a respeito do que aconteceu naquela época
    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pah,
      Concordo com você, acho que falta informação a respeito do período e interesse também.
      Beijo.

      Excluir
  10. Oi, tudo bem?
    O livro é bem interessante, mas não sei se leria, não faz muito o estilo que aprecio mais.
    E acho que eu teria certa dificuldade com ele por ser totalmente por fora do período da ditadura.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angélica,
      Olha, já que está na dúvida e não conhece o período, recomendo que comece com um livro mais simples. Aliás, posso te recomendar "Piscina Já!"? Ele é infantil, mas fala a respeito da época.
      Beijo.

      Excluir
  11. Oi, tudo bem?
    Que livro interessante, nunca ouvi falar dele mas a premissa dele é muito bacana e inteligente!
    Espero ler algum dia...

    Parabéns pela resenha!
    Beijocas da Deebs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Deebs, eu também espero que você leia algum dia, porque o livro é bom, hahaha.
      Beijo.

      Excluir
  12. Oi Luiza, tudo bem?
    Achei um livro bem interessante, mas por ser um livro histórico eu não leria ele ainda, mas não descartei a leitura. Penso primeiro a me adequar a história da Ditadura Militar, tomar um melhor conhecimento para então ler o livro e ter o entendimento necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Italo,
      Faça isso mesmo e não vai se arrepender :)
      Beijo.

      Excluir